Sentidos

Morcegos também possuem os cinco sentidos a que nós, humanos, estamos habituados: visão, olfato, paladar, audição e tato.

Só que, além desses sentidos “convencionais”, morcegos possuem também outros quatro incríveis sentidos adicionais! A combinação de sentidos extra varia entre as espécies de morcegos.

Vamos ver em detalhes os sentidos adicionais dos morcegos.

6º sentido: ecolocalização

Além da audição passiva, a maioria dos morcegos possui uma audição ativa, conhecida como ecolocalização.

Esse sentido também é chamado de biossonar, pois foi a partir dele que o sonar de navios e o aparelho de ultrassom médico foram desenvolvidos. Na verdade, nenhuma imitação humana se compara à sofisticação do sistema natural desenvolvido por morcegos, golfinhos e outros animais.

Assim, morcegos contam com um poderosíssimo sistema de orientação, especialmente em ambientes escuros. A potência da ecolocalização varia entre espécies de morcegos, sendo que os insetívoros possuem o sistema mais desenvolvido. As raposas-voadoras, ao contrário dos micromorcegos, não possuem sonar, exceto pelo gênero Rousettus, que tem um sistema rudimentar baseado em cliques da língua.

Como funciona a ecolocalização?

  1. O morcego emite ultrassons que se propagam em todas as direções e batem em objetos, como presas e obstáculos;
  2. Os ecos desses ultrassons voltam e são ouvidos pelo morcego;
  3. Com base na diferença dos parâmetros sonoros (direção, intensidade, volume e freqüência relativa) entre o pulso emitido e o eco recebido, o morcego fica sabendo onde o objeto está, qual é sua velocidade relativa a ele, como é sua forma e até mesmo sua textura.

Veja abaixo um vídeo sobre a ecolocalização dos morcegos:

Reconhecimento ultrassônico de água: dois cientistas alemães publicaram um excelente artigo relatando experimentos feitos com morcegos em laboratório. Nesses experimentos, eles concluiram que morcegos têm um mecanismo inato de reconhecimento de água através da ecolocalização.

Veja abaixo um vídeo com o resumo das descobertas:

7º sentido: termopercepção

Os morcegos-vampiros possuem ainda um sétimo sentido, a termopercepção. Graças a estruturas presentes em seu focinho, eles são capazes de perceber ondas de calor à curta distância. Os vampiros usam essa habilidade para sentir quais vasos sangüíneos estão mais superficiais na pele do animal a ser atacado. Deste modo, dão mordidas menos doloridas e evitam acordar a presa, que poderia reagir ao ataque.

Vejam o comportamento alimentar dos vampiros no vídeo abaixo:

8º sentido: orientação magnética

Alguns morcegos do gênero Eptesicus são capazes de usar o campo magnético da Terra para se orientar durante vôos longos, especialmente a fim de retornar ao abrigo diurno. É o mesmo sentido usado por outros animais migratórios, como pombos e tartarugas marinhas. Veja mais sobre isso no artigo original.

No vídeo abaixo descubra mais sobre a magnetopercepção de vários animais:

9º sentido: sensação química vomeronasal

Além do olfato como nós o conhecemos, alguns morcegos têm ainda um outro sentido ligado à percepção química, regulado pelo órgão vomeronasal. Esse órgão, presente também em outros vertebrados mas aparentemente vestigial em humanos, funciona principalmente na percepção de feromônios. Esses feromônios atuam na comunicação química entre indivíduos da mesma espécie, especialmente durante o acasalamento.

Diagrama mostrando a localização e a anatomia do órgão vomeronasal em morcegos. Fonte da imagem: Neuweiler (2000).